quinta-feira, março 01, 2007

Ditos populares

Muitas vezes usam-se expressões populares que a gente não tem nem ideia de onde elas foram originadas. Aqui vão algumas explicações:

*CASA DA MÃE JOANA* em Portugal diz-se mais *O DA JOANA*
Na época do Brasil Império, mais especificamente durante a menoridade doDom Pedro II, os homens que realmente mandavam no país costumavam encontrar-se num prostíbulo do Rio de Janeiro, cuja proprietária se chamava Joana.Como esses homens mandavam e desmandavam no país, a frase casa da mãe Joana ficou conhecida como sinônimo de lugar em que ninguém manda.

*CONTO DO VIGÁRIO.*
Duas igrejas de Ouro Preto receberam uma imagem de santa como presente.Para decidir qual das duas ficaria com a escultura, os vigários contariam com a ajuda de Deus, ou melhor, de um burro.
O negócio era o seguinte: Colocaram o burro entre as duas paróquias e o animalzinho teria que caminhar até uma delas. A escolhida pelo quadrúpede ficaria com a santa. E foi isso que aconteceu, só que, mais tarde,descobriram que um dos vigários havia treinado o burro. Desse modo, o conto do vigário passou a ser sinônimo de falcatrua e vigarice.


*FICAR A VER NAVIOS.*
Dom Sebastião, rei de Portugal, havia morrido na batalha deAlcácer-Quibir, mas seu corpo nunca foi encontrado. Por esse motivo, o povo português recusava-se a acreditar na morte do monarca.
Era comum as pessoas visitarem o miradouro de Alto de Santa Catarina, em Lisboa, para esperar pelo rei.
Como ele não voltou, o povo ficava a ver navios.

*NÃO ENTENDO PATAVINA.*
Os portugueses encontravam uma enorme dificuldade de entender o que falavam os frades italianos patavinos, originários de Pádua, ou Padova, sendo assim, não entender patavina significa não entender nada.

*DOURAR A PÍLULA.*
Antigamente as farmácias embrulhavam as pílulas ou comprimidos em papel dourado, para melhorar o aspecto do remedinho amargo. A expressão dourar a pílula, significa melhorar a aparência de algo.

*SEM EIRA NEM BEIRA.*
Os telhados de antigamente possuíam eira e beira, detalhes que conferiam status ao dono do imóvel. Possuir eira e beira era sinal de riqueza e decultura. Não ter eira nem beira significava que a pessoa era pobre, estava sem dinheiro.

*O CANTO DO CISNE.*
Dizia-se que o cisne emitia um belíssimo canto pouco antes de morrer. A expressão canto do cisne representa as últimas realizações de alguém.


Agora alguns ditos populares que se costumam dizer de forma incorrecta:

- Popularmente, diz-se : Cor de burro quando foge.
O correto é: Corro de burro quando foge!

- Outro que dito popular que toda a gente erra: Quem tem boca vai a Roma.
O correto é: Quem tem boca vaia Roma

- Mais um famoso: Quem não tem cão, caça com gato...
O correto é: - Quem não tem cão, caça como gato... Ou seja, sozinho !!

7 Comments:

Blogger voyeur said...

E já agora...

« O que me der na gana ».

Explique. :-)

12:17 da tarde  
Blogger Belzebu said...

Excelente! Não são poucas as vezes que recorro a este tipo de expressões e sinceramente desconhecia a origem de algumas delas!

Gostei desta aulinha proveitosa!

eheh!! Saudações infernais!

5:58 da tarde  
Blogger Geo said...

muito bem! as coisas que tu te lembras de comentar :)

11:47 da tarde  
Blogger ci said...

he he he

beijos incomuns

12:22 da manhã  
Blogger Peste said...

Muito instrutivo!!!

Gracias !!!

10:05 da manhã  
Blogger asdrubal tudo bem said...

As coisas que eu aprendo na blogoesfera.

10:28 da manhã  
Blogger O Lobo said...

Muito bom post mesmo! Vou guardar no meu computador e tudo...

Vou-te brindar com uma coisinha que sei também... Sabes porque dizemos O.K.?

Vem da segunda guerra mundial... Significa 0 kills ou seja, foi um dia bom poque houve zero mortes.

Continua a "postar" assim que voltarei!

11:55 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home